Swift

Mudanças de fim de ano & o que esperar de 2017

Vamos começar pelo ponto de que esse ano foi como aquele chiclete que alguém grudou no banco do ônibus, outro alguém sentou em cima e quando notou o jogou na rua, levando um terceiro alguém a pisar nele, coincidentemente ou não, esse terceiro alguém era um gari que abandonou o chiclete e o nosso ano no caminhão que nos despejou no aterro. Se você não entendeu é porque eu também não entendi o que aconteceu de janeiro pra cá.


Esta é uma postagem de desespero de quem precisa de um norte pra seguir no ano que está pra começar. Em 2016 eu iniciei com um total de zero coisas na cabeça, eu só queria passar mais esse ano com meus amigos, na escola nova - na qual me adaptei suficientemente bem e não estou ainda disposto a pensar em a largar, com minhas médias okay - simplesmente okay, não peçam demais, e minha família aceitável e liberal que me deixava ir em festas em cidades à duas horas de distância. Isso foi tudo para mim. Era o que precisava. Foi o que tive.
Mas em dezembro eu comecei a me preocupar com a famosa nova fase, é quase tão propagada quanto a nova temporada de America's Next Top Model que a VH1 comprou os direitos, virou às avessas e está produzindo de antemão com os ensinamentos de Tyra Banks, Deus. Eu estava indo pro ensino médio. Eu estou indo pro ensino médio. Em três anos (na graça do bom senhor) eu vou estar ingressando na faculdade. Vocês não pararam pra pensar que um menino de quatorze anos iria se deparar com os desesperos de uma vida que a partir de agosto se apareceu de uma maneira inesperada, levando sua família a uma instabilidade, suas notas a um declínio, suas amizades a preocupações?

amém melhor grupo de amigos que Gov. Valadares já viu
Eu juro que não queria ter que abordar frases emocionais de falta de bom senso, mas já dizia Meredith Grey, a rainha da TV americana: O carrossel nunca para de girar.
Tudo ficou okay, voltamos ao normal (*gritos de fãs de ANTM quando anunciaram que a Tyra continuaria na produção executiva*). Mas o normal me parecia entediante. Leminski me acharia entediante se me visse ali. Então foi assim que cheguei a conclusão que as mudanças seriam dramáticas (*cries in tios conservadores language*) e pintei meu cabelo de roxo/violeta/rosa com nuances/acho que é roxo!


Loucura ou não, foi indicado nos círculos sociais uma vez ou outra. E é aquela coisa: não gostei, é só raspar. Remediável. Sob controle.

Mas nem só de surpresas se faz um ano novo. Não sei onde vou morar, não sei onde vou estudar, não sei se fui o suficiente pras minhas aprovações, e, aliás, de quem foi a ideia estúpida de colocar adolescentes para fazer vestibulares e provas que mediriam seu valor diante do seu grau de ensino?
A calma eu só encontraria em mais episódios de Desperate Housewives, com mentiras, traições e omissões e mesmo assim... Quem é Paul Young e por que ele comprou o bebê do Mike?!!

'Ual, mais um adolescente fazendo drama na internet' Pelo menos eu não estou no Tumblr, né mãe?



relato de vida pessoal fatídico, verídico, real e oficial do aborrescente que vocês podem acompanhar clicando em 'fazer parte', na lateral da página

Leia Também

6 comentários

  1. Que lindo nem parece q é um lisho (queria uma parte exclusiva mas
    okay)

    ResponderExcluir
  2. QUANTAS REFERÊNCIAS EM UM TEXTO SÓ, AAA ♥ ANTM é tudo, amo demais.
    Que 2017 seja maravilhoso para voce.

    http://devaneiodeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Amei o texto!! Sucesso!!

    http://estilomello.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir