Swift

A equação do John Green

Essa semana eu terminei a minha quarta leitura de um livro do John Green, o declarado dono da literatura young-adult não fictícia americana (so many adjetivos), famoso por A Culpa é das Estrelas, que, em terras de ninguém (Br) lançou seu estrelato. E, uma das únicas conclusões que eu consegui chegar foi sobre a equação que ele usa para escrever todos seus livros.


Eu comecei por Will&Will, que, as long as I know, cria uma variável dentro da receita de livros do autor, já que 50% dele é escrita pelo meu amor David Levithan, segurando sua percepção de um dos protagonistas homônimos da história, mas ainda assim se encaixa nos, como eu chamo, requisitos John green: garoto conhece garoto/a, garoto acha garota/a muito misterioso/a, um deles vai embora, o integrante que sobrou fica para analisar como o outro afetou sua vida.
Isso se repete em Cidades de Papel (meu favorito dele), A Culpa é da Estrelas e Quem é você Alasca? (minha última leitura). O próximo da minha lista é Teorema Katherine e, sendo ou não um membro da panelinha de receitas do John, pretendo resenhá-lo depois.


O quanto mais eu ficava incomodado com a ideia dele usar realmente um roteiro pré-escrito e fazer só modificações para publicar o mesmo com títulos diferentes, descobri que não estava sozinho pensando isso e achei um post do The Odissey que descreve perfeitamente como funcionaria a John Green Formula. Ou seja, verídico.


Por hoje fica só essa ideia, amigos, até a próxima!

Leia Também

0 comentários